quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

EU E O CARNAVAL DA MINHA TERRA (PARTE 1)

 RUA CORONEL JOSÉ DUTRA QUANDO AINDA ERA "POINT" DO NOSSO CARNAVAL(IMAGEM EXTRAÍDA DA INTERNET)

Por Nilson Magno Baptista
                                                      
Nasci na “Coronel José Dutra”, na época conhecida como “Rua do Sarmento”, nossa principal via pública. Era a década de 1950 e tive o privilégio de testemunhar, ainda muito criança, os memoráveis desfiles carnavalescos que na época eram ali realizados. Pela Coronel José Dutra desfilavam nossas escolas de samba, ainda com um número bastante reduzido de participantes, mas que se apresentavam com garbo e entusiasmo impressionantes. Eu vibrava quando a Unidos do Caxangá se aproximava da “Ponte do Jeremias”, vindo em direção à Praça Dr.Carlos Alves, com aquele seu característico rufar de tambores firme e cadenciado, que fazia meu coração bater mais forte. Nesse tempo eu tinha por volta de nove/dez anos. Outra lembrança inapagável em minha memória se refere às espetaculares “Batalhas de Confete”, que o Jornal “Voz de S.João” classificava como “sesquipedal”, cujo significado é: “extremamente grande, descomunal, imenso”, e isso fazia sentido devido à grande quantidade de confetes e serpentinas que era lançada sobre os foliões. Era um volume tão grande que chegava à altura de quase cinquenta centímetros, cobrindo os paralelepípedos (formato das pedras) do calçamento.

 Aqueles confetes e serpentinas as crianças – incluindo eu, é claro - recolhiam do chão e lançavam novamente sobre as pessoas. As marquises e sacadas dos prédios em toda a extensão da rua ficavam repletas de moradores e entusiastas das “Batalhas”, que não economizavam na quantidade de confetes e serpentinas adquiridos no comércio da cidade, consumindo todo seu estoque. Via-se também pelo chão frascos vazios de “Lança-Perfume”, cuja venda naquela época era liberada. Assim, a “Rua do Sarmento” ficava extremamente colorida e cheirosa.
No final da década de 1970, como colaborador do nosso tradicional órgão de imprensa, a “Voz de S.João”, fui responsável por uma grande polêmica ao escrever um comentário em que eu dizia: “A Rua do Sarmento já não comporta o grande número de foliões que ali se acotovelam para assistir aos desfiles e participar das “Batalhas de Confete, e que deveríamos, sem perda de tempo, encontrar um novo local.” A mudança de local forçosamente acabou acontecendo em 1980, quando o prefeito Antônio Cavalheiro inaugurou o “Calçadão da Coronel José Dutra”, por ocasião dos festejos relativos ao Centenário da primeira emancipação política do nosso município.


Outros locais foram testados como a nova “passarela” do carnaval, passando pela Rua Domingos Henriques de Gusmão; pelo lado de cima da Praça Barão do Rio Branco, até chegar à atual Avenida “Tancredo Neves”, de onde não saiu mais.

Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário