terça-feira, 22 de maio de 2018

Quem é o homenageado do "13º Nepopó Festivao"?

JORNALISTA RENATO FERREIRA DE SOUZA (FOTO EXTRAÍDA DA REDE SOCIAL FACEBOOK\)


Todos os anos os organizadores deste festival de teatro homenageiam uma personalidade ligada ao mundo cultural. Este ano o homenageado é o jornalista Renato Ferreira de Souza.
Nascido em Mar de Espanha,em 1961, o jornalista Renato Ferreira de Souza vive já há vários anos em São João Nepomuceno, onde se casou com Mônica Fonseca Alves Ferreira e tem um filho chamado Ivan. O homenageado é filho de Paulo Ferreira de Souza e Vanda Ribeiro de Souza e formou-se em Jornalismo no ano de 1985 pela Fundação Cultural de Belo Horizonte (atual UNI-BH), tendo também se formado em 1999 como Especialista em Estratégia e Administração de Marketing pela Faculdade Machado Sobrinho, de Juiz de Fora. Já em 2009 Renato Ferreira de Souza concluiu o curso e foi diplomado como Especialista em Gestão do Patrimônio Cultural em Juiz de Fora, pela Faculdade Metodista Grambery, sendo que nessa última especialidade profissional o jornalista Renato prestou serviços aos seguintes municípios: Além Paraíba, Bicas, Brás Pires, Chiador, Descoberto, Ervália,Goianá, Guarani, Matias Barbosa, Paula Cândido,Pequerí, Piau, Santa Bárbara do Monte Verde,Santana do Deserto,São Geraldo, São João Nepomuceno, São Vicente de Minas, Senador Côrtes, Rio Novo, Rochedo de Minas e Tocantins.



Curiosidades sobre o homenageado


- Passou a maior parte da sua vida em São João Nepomuceno;



- Foi diretor do departamento de Cultura da prefeitura de São João Nepomuceno entre 1997 e 2003; Assessor da Secretaria Municipal de Educação,Cultura,Desportos e Turismo, entre fevereiro de 2001 e outubro de 2003; Diretor de Patrimônio na Administração 2013/2016 da Prefeitura Municipal de São João Nepomuceno.



- Sua família tanto do lado do pai quanto da mãe, sempre estiveram ligados a Cultura;



- Do lado da mãe, que poderia ter sido cantora do rádio na era da Rádio Nacional;

- A origem de sua mãe é ligada ao circo dos anos 20 e 30 (quando criança). Do pai herdou a habilidade de trabalhar pelas pessoas;

- Acredita que se caracteriza para receber essa homenagem pela sinceridade com que sempre tratou os artistas locais e de outras cidades.

Sobre seus avós, leiam o que o próprio Renato escreveu:


"Não conheci meus avós. Nem o português “Vô” Jerônimo, como todos da família se lembravam dele, assim como o “Palhaço Pirulito”, Manuel Martins Ribeiro. São curiosas essas coisas de família e de lembranças, pois tenho profundo respeito e mesmo saudade de pessoas que nem convivi.Não fiquei muito parecido com o Pirulito. Não me considero um sujeito engraçado. Outra coisa é que não se tem muitas notícias dele. Minha mãe, filha do artista, hoje perto de completar seus 82 anos, se limita a dizer que seu pai era um homem muito bravo, momento em que se desfaz um pouco a imagem do personagem que certamente divertiu e encantou muitas crianças e adultos ao longo de sua extensa estrada, trilhada com a companhia Circense Castro-Brasil, na década de 20. Uma das poucas histórias que ouvíamos com muita atenção dizia que ele teria sido um dos palhaços que ensinaram o ofício ao menino George Savalla que mais tarde se tornaria o famoso “Carequinha”. Acho que é possível que seja verdade, pois quando eu era bem pequeno e Carequinha esteve em Mar de Espanha, cidade onde nasci e morei por dezoito anos, foi visitar minha vó d. Conceição e mais tarde no espetáculo pegou no meu pé porque “era um menino que não almoçava direito e fazia xixi na cama”. Mar de Espanha, dentro deste contexto, significou a hora da despedida para Manuel e Conceição. Sua “partner” cansada da vida nas estradas disse que iria ficar naquela cidade e criar os filhos Vagner, Vanda e Walter. Pirulito seguiu com a Companhia.Acho que voltou algumas vezes mas com o tempo virou de fato uma recordação.A única foto que a família tem dele é datada de 1942, onde o senhor Castro, dono da Companhia Circense coloca como a última recordação do "professor e compadre", falecido em 22 de agosto de 1941. Mas a grande verdade é que Pirulito mora no nosso coração,bravo ou não, alimentando nossa imaginação do que seria ter um avô que " fizesse graça para a gente rir".


(Texto de 2007 - para trabalho do curso de Artes na UFJF)

Clique no link a seguir e veja a programação completa do 13º Festival de Teatro "Nepopó Festivao" : http://webones.com.br/2018/05/12/13o-nepopo-festivao-divulga-programacao/