domingo, 14 de novembro de 2010

E a casa onde seria o museu da cidade?(Continuação)

Na parte primeira falamos sobre Dona Prudenciana.Já o Comendador José Soares,seu marido,era figura atuante  na economia e na política local.Era filho de Francisco Soares Valente,fazendeiro paulista vindo para a região com Francisca Vieira Pinto,irmã do Major Joaquim Vieira da Silva Pinto,um dos fundadores da cidade de Cataguazes.O sobrado onde residiam Dona Prudenciana e o Comendador José Soares era uma construção em estilo colonial,com fundações de pedra,assoalhos de madeira corrida,apoiados em barrotes de madeira,com paredes de pau-a-pique.Possuía seis comodos no andar térreo.A parte superior era dividida em sala de visitas,sala de jantar,banheiros,cozinha e três quartos.A sala de visitas possuía uma sacada,de onde,segundo relato de familiares e alguns historiadores,Dona Prudenciana acompanhava,de binóculos,a construção do Ginásio São Salvador (o prédio ainda existe,muito bem conservado,onde funcionou o Instituto Barroso e hoje pertence a Confecções Baby).Os últimos moradores do sobrado foram  o casal Ricardo Soares Pontes e Dona Yone Henriques Pontes.Ricardo Soares Pontes (Sr.Milú),nascido em 1902e falecido em 1992,era trineto do português Manoel Rodrigues de Nazareth,um dos fundadores da cidade.Militou na política local,vindo a ser vice-prefeito na década de quarenta e presidente da UDN,neste município.Sua esposa,Dona Yone,nascida em 1909 e falecida em 1984,era sobrinha de Dona Prudenciana e bisneta do fundador da cidade,Domingos Henriques de Gusmão.Observação: a foto de Dalmo Filho,mostra o sobrado já em sua fase final de decadência,antes de sua lamentável demolição para dar lugar a uma construção moderna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário