terça-feira, 27 de outubro de 2015

O REALIZADOR DE SONHOS

IMAGEM EXTRAÍDA DE WWW.TCE.MG.GOV.BR (GALERIA DE EX-PRESIDENTES DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE MINAS GERAIS ) CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA AMPLIÁ-LA
Uma das mais caras lembranças do meu tempo de menino se refere aos passeios que fazíamos, eu, meus pais e meus irmãos, para visitar meus avós paternos, Antônio Ferreira Baptista e Antônia Hormisda Furtado de Mendonça, em Descoberto.

O motorista que nos levava sempre, em seu “fordinho” 29, era o Sr. João Salvador, que ainda está entre nós, com idade bastante avançada, mas  lúcido o bastante para recordar nossas viagens quando paramos na rua para conversar.

Adorávamos essas viagens, pois era uma verdadeira aventura, principalmente quando chovia e a estrada de terra ficava praticamente intransitável. Quantas vezes passamos pelo Sr. Edwal Mauad, com seu caminhão carregado, rodando com correntes envolvendo os pneus, ou mesmo atolado na lama. Nós passávamos por ele e não podíamos socorrê-lo, pois o Ford 29 não tinha força para puxá-lo.

Quando não era poeira, nas épocas de seca, era barro que nós enfrentávamos naquela estrada sinuosa e estreita, caminho que conduzia ao lugar em que meu pai nasceu e meus avós moravam, numa casa que nós achávamos linda, com seu grande quintal – uma chácara, na verdade – ao lado da Igreja do Rosário.

Mais tarde, meu pai adquiriu um automóvel, e nele passou a nos levar. Aquilo para nós era o auge da felicidade.  Muitas vezes ouvíamos nosso pai dizer, com seu jeito sonhador: “Um dia essa estrada haverá de ser asfaltada”! A gente ouvia, mas não acreditava muito, assim como outras pessoas a quem meu pai dizia isso sempre.

Nessa época em que eu era criança já vivia em Descoberto uma figura humana que ainda não chamava a atenção das pessoas. Esse jovem lutava com tremenda dificuldade para superar uma deficiência física, que o acompanhava desde o nascimento. Mas ele tinha um sonho, e para realizá-lo precisou arranjar um trabalho, pois queria muito estudar. Assim, passou a trabalhar como trocador no ônibus que vinha diariamente para São João. Esse jovem foi aluno do antigo Ginásio São João, mais tarde Instituto Barroso. Depois de concluídos os estudos até o grau máximo que podia conseguir por aqui, decidiu ir para Belo Horizonte, onde continuou  estudando, até concluir a Faculdade de Direito. Tornou-se lá, além de bancário, líder estudantil, que a todos encantava, com sua simpatia e determinação na busca de seu sonho. Não poderia dar em outra coisa: acabou se candidatando a vereador da Capital, sendo eleito e depois reeleito. Daí para deputado estadual foi “um pulo”, como se diz.

E foi aí que o sonho de meu pai – e de muitos outros descobertenses – se realizou. Por meio do trabalho obstinado que o jovem deputado realizou, no sentido de trazer benfeitorias para o povo de Descoberto, São João Nepomuceno e região, finalmente a estrada São João-Descoberto veio a receber o tão sonhado asfalto, assim como o trecho que continuava até Guarani. Depois veio a estrada que liga a sede do nosso município ao distrito de Roça Grande.

Outro detalhe importante foi aquele ligado à luta do deputado no sentido de conseguir, por meio do governo, as bolsas de estudo que favoreceram muitos e muitos estudantes de nossa região, hoje homens e mulheres formados nas mais diversas e importantes profissões.

Estive na inauguração da estrada São João-Descoberto e pude testemunhar a grande alegria que o povo sentiu naquele dia, em que homens ilustres como o governador da época, Newton Cardoso, acompanhado de outro político de renome, o Senhor Hélio Garcia, lá estiveram para entregar a obra. Fui autor da reportagem sobre o evento, publicada pelo jornal “Voz de São João”.

Ontem, o ex-deputado estadual Elmo Braz Soares, que chegou, no topo de sua carreira, a ocupar o cargo de Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais, foi sepultado, com grande acompanhamento, no cemitério municipal de Descoberto - a terra que tanto amou e nunca abandonou - vítima de um trágico acidente aéreo. Paz à sua alma, e que Deus conforte a todos os seus familiares, amigos e admiradores pela dolorosa e irreparável perda.


                                       Por Nilson Magno Baptista

3 comentários:

  1. Perfeita primo sua homenagem,reconhecimento e gratidão vem do caráter. Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  2. eu tenho muito a agradecer a ele, pois completei boa parte dos meus estudos no Instituo Barroso com a bolsa dele

    ResponderExcluir