domingo, 9 de janeiro de 2011

O POETA

Não sou um poeta triste
Apenas relato a tristeza
que existe
neste mundo tão cheio de nada
de egoismos mil,de ambições desmedidas
de manipuladores desta massa
desejosa de justiça
Que partem da premissa
de que povo é objeto
usam do artifício abjeto
de com sua inteligência
maligna
arquitetar um infame e vil
projeto
onde o que mais interessa
é o VOTO
e o resto é o resto.

2 comentários:

  1. Nilson:
    A poesia dá ao poeta também certo poder, pois através da poesia se pode tudo, até mesmo nos fazermos de bobo, para depois mostrarmos as garras e os bicos aduncos.Só não conseguimos mesmo é manipular porque há sempre verdade em nossos corações. A hipocrisia deixamos para esses inescrupulosos e demagogos, que com a mesma cara, pisam em nossos pés e beijam nossos rostos.
    Então continuemos a denunciar essa mazelas e bradar por uma cidade mais culta, sem esse nojento projeto de estar sempre a subjulgar o povo pelo poder, mesmo que ele saia indiretamente do povo.
    Parabéns e mais uma vez estarei levando sua poesia para o meu blog. Sou fascinado com a inteligencia. Assim me desculpe por mais um "roubo".
    Abraços de seu amigo.

    ResponderExcluir
  2. Amigo Zé Carlos,pode ¨roubar¨à vontade minhas poesias.Na verdade é uma honra ser ¨roubado¨por alguém como você,que compreende as reações deste guerreiro,já meio cansado,mas ainda lutando com todas as forças que ainda restam.Sou ainda aquele mineiro que dá um boi para não entrar na briga,mas,depois que entra nela,dá uma boiada para não sair.Abraços.

    ResponderExcluir